Onde mora a notícia?

Onde mora a notícia?

Quem trabalha com divulgação sabe que é cada vez mais difícil competir por espaço na grande imprensa. Mas, então, onde mora a notícia? O que realmente vale a pena ser divulgado?

Saber onde mora a notícia pode ser o maior tesouro de um assessor. Você sabe o que realmente vale a pena ser divulgado nos dias de hoje? Lembrando que os veículos estão cada vez mais enxutos, ou seja, prioridade na hora de escolher talvez nunca tenha sido tão importante. E ainda temos a abrangência da internet e os resultados cada vez mais difíceis de serem mensurados. Bom, primeiro passo para entender essa dinâmica é a segmentação. Sim, a não ser que você tenha uma notícia bombástica ou o que o seu cliente faz é do interesse de realmente muita gente, trabalhe a grande mídia paralelamente, mas foque seus esforços na segmentação.

Não estamos questionando o poder de uma matéria grande em um veículo referência em todos os mercados. Mas, se o que o seu cliente quer é ficar conhecido no seu mercado em potencial pense como consumidor: onde você vai procurar um produto, serviço ou especialista nos dias de hoje? Sim, no bom e (já) velho Google. Quem estiver nas primeiras páginas de pesquisa dos browsers tem grande chance de ser escolhido e, por isso, trabalhar SEO é tão importante nos dias de hoje. Aguarde que já, já, publicaremos um texto só sobre isso.

É por essa razão que falamos tanto aqui sobre equilibrar expectativas e resultados. Muitas vezes, estar como fonte única em uma matéria de um site segmentado pode valer mais do que ser mais uma fonte em uma grande matéria de jornal. Só para dar um exemplo. E, de novo, colocamos como “pode ser”, porque cada caso é diferente e precisa ser avaliado e dimensionado em parceria com o interessado. No caso, o cliente.

E como conhecer onde mora a notícia?

Conversar com jornalistas é extremamente importante e pode ser uma ótima para construir planejamentos que sejam reais e que tragam efetivos resultados. Muitas vezes, os mailings, por mais eficazes que sejam em suas atualizações, dependem de informações que são transmitidas pelos próprios veículos e que nem sempre traduzem a realidade da redação.

Assim, um jornalista que escreve sobre esportes pode, ou não, receber pautas sobre várias modalidades. Mas ele pode também ser especializado e escrever, por exemplo, apenas sobre futebol. E aí, suas pautas sobre outros esportes vão ser inúteis para ele. E isso não significa que elas não sejam boas. Por isso, nosso trabalho de mailing é sempre tão intenso aqui na Press Manager, inclusive na segmentação. Para tentar facilitar um pouco mais o trabalho de todos.

Ainda assim, o diálogo pode ser a melhor saída. Quando você realmente conhece o jornalista, sobre o que ele escreve, quais suas pautas de interesse, fica muito mais óbvio direcionar assuntos relevantes. Um aproveitamento de tempo para todos. A notícia pode morar em vários lugares, estar conectada a assuntos diversos, mas tudo vai depender do veículo, do interesse e do público desejado. Promover essas discussões ajuda a manter todo mundo ligado e a aumentar a troca de informações, não acham?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://www.pressmanager.com.br/wp-content/uploads/2017/07/login-page-3.jpg);background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: fixed;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 650px;}div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container.dfd_stun_header_vertical_parallax {-webkit-transform: -webkit-translate3d(0,0,0) !important;-moz-transform: -moz-translate3d(0,0,0) !important;-ms-transform: -ms-translate3d(0,0,0) !important;-o-transform: -o-translate3d(0,0,0) !important;transform: translate3d(0,0,0) !important;}