A importância da transparência na comunicação pública

A importância da transparência na comunicação pública

Se existe um tipo de comunicação que precisa ainda mais de transparência, mais do que o convencional, é a pública. Para isso, organizar a forma de comunicar para oferecer mais qualidade e conhecimento para os consumidores da informação é primordial.

A assessoria de imprensa de órgãos públicos é realmente uma das mais exigidas. Necessidade de clareza na comunicação? Temos. Informações oriundas de várias fontes e que precisam ser filtradas? Também. Uma das melhores formas de realizar esse trabalho com maestria e assertividade é apostando em planejamento e organização nos três pilares: transparência, participação pública e autonomia. Veja como cada uma delas pode funcionar melhor quando investimos em gestão.

Transparência

Entender que a comunicação pública tem como dever informar com transparência o mercado sobre os principais fatos é fundamental, e abre discussões diversas na área. Até que ponto é possível preservar determinadas informações, até que estejam maturadas e possam ser disseminadas? Será que essa separação existe, ou, no tocante ao que é governamental, é preciso oferecer toda a informação possível, em tempo real? Para ajudar na tomada de decisão de passos importantes na divulgação de dados, a organização é primordial. Criar planejamentos estratégicos, permitir que cada área assuma sua tarefa na entrega da informação, e ter sistemas que reúnam essa informação de modo que possa ser acessada e entendida por todos pode ajudar, e muito.

Participação Pública

A comunicação pública precisa da troca com a população para ser efetiva e realmente transparente. O interesse público precisa ser colocado à frente e a participação de todos nos processos, bem como na exigência de informação, é fundamental. Nessa questão, a organização torna-se ainda mais importante – reunir dados em um único local pode ser mais assertivo e demandar menos perdas. Garantir que as pessoas tenham acesso a essa informação, mas mantendo a coerência na comunicação e no arquivamento de dados torna-se um ponto crucial na comunicação pública. Quem pode ajudar? A organização de dados, mais uma vez.

Autonomia

Garantir que os órgãos de comunicação pública tenham autonomia para criar planejamentos estratégicos de divulgação e que possam contar com tecnologia específica para esse fim é outro ponto de extrema importância. Assim, uma plataforma que garanta a assertividade de dados e que permita gerar relatórios, que são usados para redefinição de estratégias, é um passo a mais na qualidade da informação. Organizar dados e manter processos otimizados é fundamental para que haja coerência e autonomia.

Se você trabalha na comunicação de órgãos públicos, conta pra gente como está a organização por aí. Está fácil manter, cruzar e otimizar informações vindas de tantas áreas e criar planejamentos condizentes com a necessidade de comunicação constante e transparência de dados?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://www.pressmanager.com.br/wp-content/uploads/2017/07/login-page-3.jpg);background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: fixed;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 650px;}div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container.dfd_stun_header_vertical_parallax {-webkit-transform: -webkit-translate3d(0,0,0) !important;-moz-transform: -moz-translate3d(0,0,0) !important;-ms-transform: -ms-translate3d(0,0,0) !important;-o-transform: -o-translate3d(0,0,0) !important;transform: translate3d(0,0,0) !important;}