3 dicas para desenhar pautas para matérias de televisão

3 dicas para desenhar pautas para matérias de televisão

Para incluir um cliente de assessoria de imprensa em uma matéria de televisão é importante entender como é a produção de uma pauta que tem foco em um público amplo e precisa de imagens interessantes

 Você assessor de imprensa já pensou o que diferencia uma matéria de televisão de uma pauta para um site, impresso ou rádio? É a linha editorial. Na televisão, seja em canais abertos ou pagos, o jornalismo trabalha geralmente focado em factuais, que são as notícias quentes do momento, ou em prestação de serviço ao público em geral.

Há também muitas oportunidades para a exposição de marcas e seus porta-vozes em programas de entrevistas e entretenimento. Mas, mesmo assim, a oferta de pauta precisa ser muito bem direcionada para ter adesão.

Ou seja, não é qualquer assunto que se encaixa na pauta de um produtor de televisão e será interessante para o seu público. É necessário adequar o que o cliente de assessoria de imprensa quer divulgar ao que cada programa do jornalismo ou entretenimento costuma divulgar.

Pensando nisso, separamos 3 dicas matadoras para que suas pautas tenham um grande alcance em canais televisivos. Confira!

1 – Se ligue nos factuais

Muitas pautas do jornalismo de televisão são resultado do trabalho de assessores de imprensa que chegam assertivamente até as mãos dos produtores com dados de pesquisas e informações de grande apelo popular. Mas nem sempre se tem essas pérolas na mão, não é mesmo?

Pois bem, então uma estratégia pode ficar atento em nas notícias do dia e da semana que estão mais repercutindo. O que o seu cliente poderia comentar, opinar ou agregar aos factuais? Contribuir com o que já está sendo apurado e desenvolvido pelas equipes pode gerar boas chances de exposição de clientes.

Aqui cabe inclusive uma dica complementar: pense que programas de televisão precisam de pautas de interesse mais amplo, multipúblico mesmo. Pense que televisão é um equipamento que tende a ficar no meio da sala e assistido por famílias compostas por diversas gerações, de crianças a idosos.

Com isso, vale sempre pensar em como popularizar uma pauta e torna-la mais acessível a todos os tipos de telespectadores, com cases e informações que não requerem explicações complexas.

2 – Pauta de televisão não se sustenta de não gera uma “boa” imagem

Esta dica parece óbvia, mas é bem comum assessores ouvirem de produtores de televisão perguntas como “Sua pauta é interessante, mas podemos gravar dentro da empresa e mostrar a equipe toda?” ou “Gostei, mas como podemos mostrar isso na prática?”.

Gerar imagem muitas vezes requer criatividade, incluir outros entrevistados, deslocar o cliente para outros ambientes – longe do escritório ou estúdio, criar protótipos de algo, desenvolver uma atividade visual e até fazer um povo-fala (entrevistar pessoas aleatoriamente na rua para que deem sua opinião sobre um assunto).

Por outro lado, hoje em dia há muitos programas de televisão que são baseados num cenário, duas poltronas, um jornalista e um ou dois entrevistados. É um formato simples em que se a pauta não gera imagens é mais tranquilo. Porém, nesse caso, a entrevista com porta-voz tende a ser mais longa, sendo necessário que o assunto literalmente renda muita conversa.

3 – Ajude o colega produtor

Um minuto de televisão parece pouca coisa para você? Já transcreveu um áudio e se deu conta da quantidade de palavras que são ditas em um minuto? Em um minuto de televisão bem aproveitado pode-se dizer, por exemplo, uns três dados de pesquisa ou mesmo explicar um conceito. Dúvida? Faça um teste com um cronômetro na mão.

E cabe ao produtor de televisão cumprir o desafio de munir o repórter ou apresentador do programa com dados e informações que viabilizem “preencher” todo o tempo disponível para cada pauta. Porém, dependendo da pauta não é uma tarefa fácil.

Com isso, ao aceitar uma sugestão de pauta de um assessor de imprensa, um produtor precisa apurar dados e outras informações para completar o tempo da matéria. E é justamente nesse ponto que muitas pautas acabam não emplacando: faltam ao produtor muitas vezes braços para planejar a produção da pauta.

Então, aí vem a dica de ouro para sugerir pautas para programas de televisão: ajude o produtor a viabilizar a pauta. Não se limite a fornecer só dados do seu cliente. Sugira a pauta acompanhada de dados de mercado e pesquisas de instituições com grande credibilidade. Faça parceria com outros assessores da área. Ajude a achar personagens para humanizar a matéria. Todo esforço é válido para fazer a pauta ganhar peso para ser emplacada, concorda?

Alguns assessores muitas vezes questionam essa forma de atuação e se sentem fazendo o trabalho do produtor ou mesmo tem receio de serem mal interpretados. Porém, vale lembrar que é mais fácil atingir bons resultados quando ultrapassamos o limite óbvio de um trabalho. É bom ser mais proativo em negociações com programas de TV, até porque seu cliente dificilmente será a única fonte de uma matéria e assim você pode até evitar um concorrente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://www.pressmanager.com.br/wp-content/uploads/2017/07/login-page-3.jpg);background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: fixed;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 650px;}div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container.dfd_stun_header_vertical_parallax {-webkit-transform: -webkit-translate3d(0,0,0) !important;-moz-transform: -moz-translate3d(0,0,0) !important;-ms-transform: -ms-translate3d(0,0,0) !important;-o-transform: -o-translate3d(0,0,0) !important;transform: translate3d(0,0,0) !important;}