Como medir resultados em tempos de divulgação online

Como medir resultados em tempos de divulgação online

Os veículos impressos e eletrônicos tradicionais ainda são o foco de muitas empresas, mas é preciso saber como mostrar ao cliente que os resultados online de divulgação de imprensa são muito especiais.

Um desafio: medir resultados em tempos de divulgação online. Cada vez menos as empresas querem (ou podem) pagar por serviços completos de clipagem. Junte a isso informações cada vez menos precisas sobre a valoração do espaço de mídia espontânea e temos um panorama difuso e que precisa ser muito bem compreendido para que os relatórios se tornem mais assertivos.

A questão gira em torno dos objetivos do cliente x os resultados possíveis de divulgação. Primeiro, é preciso entender o que é mais positivo para a empresa ou marca em questão: que público quer atingir, que resultados finais deseja. Muitas vezes, por exemplo, é aumento de vendas, e isso pode ser mais facilmente conseguido com um trabalho em redes sociais, por exemplo, ou com veículos online que praticam o link building do que com matérias em veículos maiores, que vão dar valor à marca, mas que não necessariamente se traduzam em mais vendas.

Segundo, é preciso avaliar onde está o público que o cliente quer atingir. Para algumas marcas, ações com influencers podem ser mais eficazes do que grandes matérias. Então, unir as duas coisas é algo fantástico. Pulverizar os resultados é algo fantástico. Mas o cliente precisa entender isso e ser parceiro na estratégia escolhida. De nada adianta criar uma forma de trabalho que você sabe que dará resultados, mas que não convence o cliente. O clima será sempre de que algo está faltando. Como um andar em desalinho.

Existe melhor formato de relatório?

Não adianta, se o cliente quer relatório com centimetragem, entender quanto está “ganhando” com a divulgação e quer uma lista de exatamente tudo que saiu na imprensa, precisará contratar os serviços de uma clipadora. Assessores de imprensa não fazem clipping. Seria humanamente impossível, a não ser que seja uma agência grande que já ofereça esse serviço incluído na proposta.

Fora esses casos, é preciso explicar ao cliente quais os objetivos possíveis de serem alcançados e é preciso que ele entenda o quanto de valor tem cada divulgação, e isso não necessariamente significa um relatório com números, mas um relatório que tenha aquilo que foi efetivamente combinado. Com um diálogo aberto e muita verdade, é possível que o cliente esteja realmente satisfeito, mesmo não tendo em mãos um relatório numérico.

O que você acha? Existe melhor relatório para entregar ao cliente? Qual seu principal dilema com relação a esse assunto? Conte pra gente e nos ajude a melhorar o mercado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://www.pressmanager.com.br/wp-content/uploads/2017/07/login-page-3.jpg);background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: fixed;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 650px;}div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container.dfd_stun_header_vertical_parallax {-webkit-transform: -webkit-translate3d(0,0,0) !important;-moz-transform: -moz-translate3d(0,0,0) !important;-ms-transform: -ms-translate3d(0,0,0) !important;-o-transform: -o-translate3d(0,0,0) !important;transform: translate3d(0,0,0) !important;}